Blog


27/09/2019 Medicina

Você sabe o que é a terapia do espelho e como pode ajudar na dor do membro fantasma?

90% dos pacientes amputados apresentam dor no membro removido após 24 horas da cirurgia

Você sabe o que é a terapia do espelho e como pode ajudar na dor do membro fantasma?

A dor no membro fantasma se refere a uma experiência sensorial vivida após a amputação. Nesses casos, o paciente sente a presença ou dores no membro que foi retirado. Essa sensação é muito comum logo após ou até 24 horas depois da cirurgia. Contudo, algumas técnicas vêm sendo empregadas para minimizar esse incômodo, como a terapia do espelho.

Pesquisadores utilizaram essa metodologia que permite o cérebro reconhecer mais rapidamente que o membro não se encontra mais conectado ao corpo. Ao usar um espelho, os pacientes conseguem “visualizar” o membro fantasma se movimentando através de exercícios.

Ficou curioso para saber como esse procedimento funciona? Continue lendo para entender melhor!

Como funciona a terapia do espelho?

A terapia consiste em utilizar um espelho evidenciando o membro não afetado, enquanto a parte amputada não se encontra visível ao paciente. Os exercícios têm como objetivo fazer com que o indivíduo mobilize a extremidade saudável e que esses movimentos sejam visualizados pelo paciente através do espelho.

Essas atividades promovem a impressão de que o membro afetado está se movendo sem dores e limitações. Esse procedimento estimula o cérebro, por meio das imagens, a ativar fibras motoras através de impulsos gerados pelo sistema nervoso, favorecendo assim a aprendizagem motora.

Em um estudo recente, pesquisadores avaliaram a terapia por quatro semanas, medindo a atividade cerebral antes, durante e depois desse período em pessoas amputadas e sem amputações. Esses estudiosos constataram uma forte ativação na área cerebral correspondente ao órgão amputado, o mesmo não foi visualizado em indivíduos sem amputação.

Ao fim da terapia, além da redução da dor do membro fantasma, essa ativação não era mais visualizada. Os cientistas constataram que a dor foi reduzida em 46% dos casos até a terceira sessão.

Apesar de ser bastante eficaz em casos de amputação, a terapia do espelho pode ser benéfica em outras situações também. Veja abaixo quais são.

Situações que a terapia do espelho pode ser empregada

A terapia do espelho pode ser muito útil em casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Os indivíduos acometidos por essa patologia podem se tornar incapacitados pela perda do movimento devido à fraqueza muscular, modificações no tônus do músculo e alterações da coordenação motora.

No AVC, a terapia do espelho tem se mostrado promissora por melhorar aspectos relacionados à atividade motora e sensorial. Além dessa área, a técnica promete ser eficiente até em problemas referentes à autoestima e autoconhecimento.

Da mesma forma que nas situações já citadas, a terapia do espelho nesses casos possibilita a consciência cerebral. A metodologia para essa finalidade consiste em se posicionar na frente de um espelho e proferir mensagens de autoafirmação.

Importância da terapia para os pacientes

Além de reduzir os incômodos provenientes da dor do membro fantasma na amputação, a terapia do espelho promove uma melhor qualidade de vida para pessoas que sofreram de patologias incapacitantes, possibilitando um novo meio de recuperação para esses indivíduos.

Ademais, a técnica pode ser útil para a autoestima e bem-estar de pacientes tratados por terapeutas e psicólogos, se tornando uma importante forma de tratamento também nesses casos.

Agora que você sabe um pouco mais sobre a terapia do espelho, compartilhe esse artigo com seus amigos e informe-os sobre os benefícios dessa técnica para reduzir a dor no membro fantasma e também para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.