Blog


09/08/2019 Medicina

Linguagem corporal: Dicas para seu corpo e boca falarem a mesma coisa!

Habilidade é essencial para garantir um bom relacionamento com seus pacientes.

Linguagem corporal: Dicas para seu corpo e boca falarem a mesma coisa!

Não é apenas nossa boca que fala. De alguma forma, nosso corpo também faz isso! Sendo assim, não é raro que sejamos compreendidos mais pelos gestos do que pelas palavras. Sabendo disso, é fundamental entender um pouco sobre a importância da linguagem corporal para médicos.

Afinal, esse profissional precisa lidar com diversos tipos de situações e uma variedade muito grande de pacientes.

Compreendendo a base da linguagem corporal, é possível entregar um atendimento mais completo e humano, fator essencial para essa profissão, especialmente nos casos em que o paciente enfrenta um quadro complicado.

Por isso, selecionamos algumas dicas sobre partes do corpo e o que determinadas ações podem passar para outras pessoas. Acompanhe e entenda melhor esse assunto.

Corpo

De acordo com a forma como o médico se posiciona em relação ao paciente, a comunicação poderá ser boa ou não.

Ficar frente a frente passa uma ideia de competição, de “afronta” ou disputa com a pessoa. Por sua vez, ficar ao lado dela indica algo relacionado com solidariedade, companheirismo e cooperação.

Braços

Na linguagem corporal para médicos, os braços também merecem atenção durante a conversa com o paciente, uma vez que eles podem dizer o que o profissional está pensando, mesmo que não diga nada.

Por exemplo, ao cruzar os braços a sensação passada é de incômodo, descontentamento ou restrição. Já soltos e de forma natural, os braços dão a ideia de compreensão.

Cabeça

A cabeça é uma das regiões do corpo onde as pessoas costumam focar boa parte da atenção. Conversar com a cabeça para baixo é um sinal claro de discordância ou desaprovação. Já para cima, significa que a pessoa está tendo uma atitude neutra ou que está examinando a situação.

Pernas

A linguagem corporal também está presente nas pernas. Se o médico estiver com elas cruzadas está indicando um pouco de tensão e desconforto. Se os pés é que estiverem cruzados, cinismo, negatividade e dissimulação, são algumas das coisas ditas pelo corpo.

Claro, não existem somente esses sinais. Mas, por meio deles é possível compreender que todo o nosso corpo fala. O médico, por ser um profissional que lida diretamente com outros seres humanos que normalmente estão passando por um período complicado, precisa ficar atento a isso em sua rotina.

Como usar a linguagem corporal para médicos nos atendimentos aos pacientes?

Como você já deve ter percebido, cuidar da linguagem corporal é um processo que requer atenção aos detalhes. Tudo faz parte: roupas, gestos, atitudes, cuidados pessoais, etc. Todos esses aspectos determinam o tipo de relação e o nível de comunicação que queremos estabelecer com os outros.

Além disso, no caso específico dos médicos, isso reflete na confiança pessoal que o paciente tem para com o profissional que está realizando o seu atendimento.

Por exemplo, quando o médico tem uma postura que passa a ideia de tranquilidade e compreensão, o paciente se sentirá mais confortável e, como resultado, a consulta pode durar menos tempo, pois ele (o paciente) se sente mais à vontade para falar tudo. Com isso, o profissional não terá que, literalmente, tentar adivinhar o problema da pessoa.

E você? Tem alguma dica sobre linguagem corporal para médicos? Deixe sua sugestão em nossos comentários!

Assuntos relacionados: linguagem corporal para médicos