Dr. Teuto

Blog

Blog


24/09/2021 Notícias

Por que devemos falar sobre Doença de Chagas?

A Doença de Chagas é um problema de saúde pública ainda não enfrentado, pouco difundido e controlado.

Por que devemos falar sobre Doença de Chagas?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há entre 6 e 7 milhões de pessoas acometidas pela Doença de Chagas no mundo e 70 milhões de seres humanos expostos a riscos de contaminação.

Causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, a preocupação com a Doença de Chagas parte da premissa de que a maioria das pessoas contaminadas desconhecem que estão acometidas pela doença, graças aos sintomas comuns que ela causa logo no início, como inchaço e febre.

Atualmente, o dia 14 de abril foi determinado pela OMS como o Dia Mundial da Doença de Chagas para promover o tema com a classe profissional que, de acordo com a Organização, apresenta falhas técnicas na realização de diagnósticos da Doença de Chagas.

A doença

Endêmica em mais de 21 países do continente americano, 90% das pessoas acometidas não sabem que portam Doença de Chagas por falta de oportunidade diagnóstica.

Os avanços do conhecimento da doença nos últimos anos auxiliaram no consenso médico sobre a dificuldade de diagnósticos da doença em todas as fases (aguda e crônica) e, com o apoio da OMS, a Resolução Chagas da Assembleia Mundial de Saúde marcou o compromisso da oferta de diagnósticos e tratamentos dos infectados como atenção primária de saúde.

Somente no Brasil, a Doença de Chagas leva ao óbito cerca de 6 mil pessoas por ano e costuma acometer gerações da mesma família pelas facilidades de transmissão: oral, vetorial, vertical, acidental, transfusão e transplante.

Na medicina atual, a única possibilidade de cura para a Doença de Chagas é o tratamento precoce. Com a possível transmissão através do parto, cerca de 8 a 15 mil crianças nascem com a doença no mundo pela falta de tratamento adequado das mães.

A baixa disseminação das complicações é tamanha que nem mesmo no pré-natal a sorologia é aplicada.

Tratamento efetivo

O barbeiro, inseto vetor transmissor da Doença de Chagas, acumula atualmente mais de 300 espécies com potencial para a transmissão do Trypanosoma cruzi, além das infecções acidentais de pessoas contaminadas para as demais.

Na fase aguda, a Doença de Chagas, na maioria das vezes, nem sequer apresenta sintomas. Na fase crônica, complicações digestivas e cardíacas são comuns.

Como a melhor forma de prevenção é o tratamento precoce, os Médicos sem Fronteiras estimulam e defendem o diagnóstico e o recurso terapêutico a ser adotado para a Doença de Chagas em Unidades Básicas de Saúde (UBS), especialmente em cidades com alta população dos barbeiros transmissores.

Pode-se dizer que o tratamento para a doença é simples. Com medicações como o benznidazol (primeira escolha) e o nifurtimox (indisponível no Brasil), um tratamento efetivo contra a Doença de Chagas pode durar, em média, 60 dias.

Continue a se informar sobre estas e outras patologias conosco, inscrevendo-se em nossa newsletter.

 

Fonte:

- https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/doenca-de-chagas
- https://brasil.elpais.com/brasil/2021-04-16/a-doenca-de-chagas-e-um-problema-de-saude-publica-ainda-nao-enfrentado.html
- https://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/doenca-de-chagas

Assuntos relacionados: doença de chagas