Dr. Teuto

Blog

Blog


09/08/2021 Notícias

Inteligência Artificial: mais agilidade na atuação, mais eficácia nos resultados

Ao longo dos tempos, a medicina se integra à Inteligência Artificial e traz dinamicidade aos processos.

Inteligência Artificial: mais agilidade na atuação, mais eficácia nos resultados

Desde os primórdios, o homem busca meios de aperfeiçoar e dinamizar o seu trabalho manual.

A evolução natural culminou em automatização e máquinas modernas, cada vez mais sofisticadas, que ocuparam gradualmente espaços fabris. Mas afinal, como surgiu a inteligência artificial? Como ela está sendo aplicada à Medicina?

A seguir, você conhecerá os feitos da inteligência artificial na Medicina. Continue a leitura!

Origem da inteligência artificial

A inteligência artificial é uma união de muitas tecnologias diferentes, atuando juntas na melhoria de processos e permitindo que as máquinas compreendam, detectem, ajam e aprendam com inteligência similar a dos humanos.

Data-se que a inteligência artificial teve sua história oriunda após a Segunda Guerra Mundial, e envolveu cientistas como Alan Turing e os pesquisadores Marvin Minsky, John McCarthy, Allen Newell e Herbert A.

Desenvolvidas em universidades renomadas no mundo inteiro, como o Massachusetts Institute of Technology (MIT), as primeiras pesquisas demonstram que a Inteligência Artificial poderia revolucionar a tecnologia e a Medicina

Inteligência artificial na medicina

Em qualquer processo tecnológico ou dispositivo eletrônico encontramos IA, desde o ligar de uma TV ao apagar das luzes de forma automatizada.

A presença da inteligência artificial na Medicina também possui relevância, uma vez que os campos de aplicabilidade são numerosos e a resposta a essa inovação é tangível. As máquinas realizam tarefas de modo automatizado, mas, ao mesmo tempo, inteligente e racional.

Os inúmeros benefícios dessa tecnologia são vistos em atendimento a pacientes, auxílio em diagnósticos radiológicos, tratamento e prevenção de diferentes doenças, por exemplo.

Leia também: CRM Virtual oferece uma série de serviços pela internet para médicos e consultórios

Mais agilidade na atuação, mais eficácia nos resultados

Um dos meios de análise mais utilizados na atualidade, os algoritmos da IA têm como objetivo auxiliar de várias formas a atuação dos profissionais, uma delas é recomendar tratamentos e diagnósticos de doenças - o que tornam mais eficazes os resultados.

Saiba como a IA vem sendo adotada nas análises clínicas a seguir:

1.  Melhores opções de tratamento de doenças

A International Business Machines (IBM), uma das maiores empresas na área da informática, desenvolveu o Watson, um algoritmo que sugere as melhores opções de tratamento (efeitos colaterais e grau de risco) embasadas em conteúdos da literatura científica e dados genéticos ou clínicos do paciente.

Nesse sentido, os especialistas podem recorrer a práticas mais seguras, com melhores combinações de medicamentos, possibilitando mais qualidade de vida aos pacientes.

2. Eficácia nos resultados de exames

Pesquisadores nos EUA, na Alemanha e na China desenvolveram uma ferramenta com algoritmo que identifica certas características das imagens de exames radiológicos, analisando as camadas da retina por tomografias ópticas.

A análise consiste na busca por possíveis alterações que possam causar a perda da visão - o que nos sugere que a identificação de algumas características das imagens obtidas são importantes para um diagnóstico eficaz e definitivo.

Com o uso da tecnologia, o acesso ao exame será mais amplamente difundido, por ter seu custo consideravelmente baixo. Após fase de desenvolvimento e teste, essa ferramenta também auxiliará em exames como a mamografia.

3. Associação de sintomas

Destaque no campo da inteligência artificial, uma ferramenta tem se mostrado muito eficiente, o TensorFlow, uma biblioteca de software desenvolvida pelo Google.

Além de procurar por algum problema relacionado à retina do paciente, também associa os sintomas referentes à enfermidade e ao histórico, comparando imagens do próprio banco de imagens.

4. Mudanças no quadro do paciente

Uma das premissas da inteligência artificial na Medicina é alertar o médico sobre possíveis mudanças no quadro clínico do paciente (resultados de exames laboratoriais e prescrições de medicações), em tempo real, por meio de um computador que sinaliza situações de emergência por meio de lembretes.

Não há dúvidas de que a inteligência artificial na Medicina oferece praticidade, benefícios à área de saúde e melhora a relação entre paciente e médico.

Por outro lado, mesmo com as vantagens significativas, o médico deverá conduzir com cuidado, ética e humanização, para proporcionar um atendimento eficaz e preciso.

Neste artigo, apresentamos o uso da Inteligência Artificial na Medicina.

Se ele fez sentido para você, aproveite e compartilhe-o em suas redes sociais!

 

Fonte:

- https://medicinasa.com.br/ia-na-saude/
- https://medilab.net.br/2018/08/06/5-aplicacoes-incriveis-da-inteligencia-artificial-na-medicina/