Dr. Teuto

Blog

Blog


24/05/2021 Notícias

Estudo brasileiro avalia possibilidades para reduzir entubações por Covid-19

A pesquisa analisa o uso de altas doses de metilprednisolona a fim de frear a fase mais grave da doença

Estudo brasileiro avalia possibilidades para reduzir entubações por Covid-19

Estudo brasileiro COVER-ME-UP – ensaio clínico da pulsoterapia com metilprednisolona em pacientes covid-19: estudo randomizado, aberto e controlado, baseado na experiência árabe, conta com aproximadamente 90 pacientes voluntários que receberão altas doses de corticosteroide, visando interromper as fases mais graves da Covid-19.

A iniciativa faz parte do movimento da ciência que empreende todos os esforços para encontrar os métodos adequados de controle da doença e, dessa forma, reduzir e evitar as entubações por Covid-19. Saiba mais!

Alternativa para reduzir entubações por Covid-19

Diante do crescente número de mortes diárias por Covid-19, pacientes com comorbidades são os com maior risco de necessidade de entubação quando diagnosticados com Covid-19. O citado ensaio clínico foi iniciado em abril deste ano no Hospital do Servidor Público Estadual do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (HSPE/Iamspe) em São Paulo.

O ensaio visa buscar soluções para a fase inflamatória da doença que leva ao estado de gravidade no qual é necessário entubar o paciente. O estudo consiste em:

-        dividir os voluntários em três grupos e cada grupo receberá doses do fármaco por via intravenosa;

-        um grupo receberá 500 mg, outro 250 mg e o terceiro 1 mg/kg durante três dias;

-        após o terceiro dia, cada grupo receberá doses de 0,5 mg/kg/dia, que é a dose padrão adotada no protocolo de tratamento do HSPE, estendendo-se a aplicação por mais cinco dias;

-        estão excluídos dos grupos mulheres grávidas e pessoas em tratamento de radioterapia ou quimioterapia.

Em tal procedimento, referenciado nos mesmos protocolos de tratamento adotados em hospitais no Oriente Médio, administram-se as altas doses de metilprednisolona no sexto, sétimo e oitavo dias a partir do início dos sintomas. A escolha do medicamento foi feita em função da acessibilidade ao mesmo em hospitais brasileiros de áreas periféricas.

Principais conclusões e perspectivas para o combate à Covid-19

O desenho do estudo foi aprovado pela comissão de ética do HSPE e pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Espera-se que a partir do estudo seja possível definir o tempo e a dose ideal para que pacientes com comorbidades, em especial os que têm obesidade, não cheguem a precisar de suporte ventilatório.

O Dr. Luiz Gonzaga D'Elia Zanella, infectologista do HSPE/Iamspe, divide a coordenação da pesquisa com a pneumologista e infectologista, Dra. Luciana de Lima Galvão, também do HSPE/Iamspe. Ele reconhece o desespero vivenciado diariamente para a “busca de um tratamento que diminua a quantidade de pacientes graves e de mortes por complicações da covid-19".

Encontrar as possibilidades para evitar e tratar a doença, bem como reduzir o número de entubações é de vital importância, porque o cenário é de mais de 3.000 mortes diárias e escassez de medicamentos e leitos em hospitais.

Inscreva-se na nossa newsletter e receba outras notícias sobre saúde e medicina!

 

Fonte:

- https://portugues.medscape.com/verartigo/6506203
- https://covermeup.com.br/ 

Assuntos relacionados: REDUZIR ENTUBAÇÕES