Dr. Teuto

Blog

Blog


09/04/2021 Medicina

Como fazer a avaliação da segurança do paciente nos estabelecimentos médicos?

Sistema lançado pela Anvisa e CNPq auxilia a levantar informações em tempo real

Como fazer a avaliação da segurança do paciente nos estabelecimentos médicos?

Nossa discussão de hoje se encontra inserida no campo de avaliação da segurança do paciente.  Trata-se de um tópico importantíssimo que, até hoje, é pouco discutido no Brasil. Contudo, isso está para mudar com o lançamento da plataforma digital nomeada de E-Questionário de Cultura de Segurança Hospitalar.

Trata-se de uma iniciativa que é fruto de um esforço em conjunto entre e Agência Nacional de Vigilância Sanitária e do Grupo de Pesquisa QualiSaúde, filiado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e oriundo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Quanto ao funcionamento do instrumento avaliativo, a ferramenta se configura como a integração de dois aplicativos gratuitos originários dos Estados Unidos da América (EUA), o Hospital Survey on Patient Safety Culture (HSOPSC) e da Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ).

Podemos compreender essa plataforma como um sistema eletrônico que será empregado para a realização rápida de uma avaliação da segurança do paciente em hospitais brasileiros.  Nesse sentido, o aplicativo conta com um questionário pertinente às 12 dimensões da Cultura de Segurança do Paciente (CSP).

Esse formulário deverá ser preenchido por profissionais da saúde e resultarão em indicadores que poderão ser utilizados para investigações mais precisas sobre a segurança do paciente. Aqui serão avaliadas questões relativas a tópicos de frequência de eventos adversos, percepção de segurança e sobre trabalho em equipe.

Segundo a Gerência de Vigilância e Monitoramento em Serviços de Saúde (GVIMS), o E-Questionário se configura como um instrumento de caráter permanente e que garante o total sigilo para os profissionais da saúde envolvidos.

Para a Anvisa, a importância dessa medida repousa no fato de que uma em cada dez admissões hospitalares acaba resultando em, ao menos, um evento adverso.  A adoção de procedimentos simples seriam capazes de reduzir os EA em até 50%.

Sendo assim, a agência se refere à implementação de medidas como a higienização correta das mãos por parte dos profissionais da saúde, da realização de cirurgias em locais devidamente esterilizados e a identificação correta dos pacientes.

Essas medidas podem auxiliar até mesmo no combate ao novo coronavírus. Como reportamos previamente, o número de casos e de óbitos vêm crescendo de maneira bastante preocupante, ultrapassando a marca de 3000 mortos por dia.

Nesse sentido, devemos ressaltar o apelo realizado por autarquias como o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Médica Brasileira (AMB) pela realização de medidas mais rigorosas no combate à doença, tal como o uso de máscaras e a adoção de medidas de distanciamento social.

Feito esse pedido, podemos voltar para o tópico central desse texto: a avaliação da segurança do paciente. As entidades que formularam essa plataforma esperam que as medidas ajudem a promover a cultura da segurança do paciente no sistema de saúde. Ou seja, faz-se necessário que a prática médica valorize a segurança, que faça uso da cooperação e que esses profissionais se mantenham sempre abertos para a comunicação.

Por fim, gostaríamos de lembrar que o desenvolvimento dessa cultura é uma prática que depende apenas de todos os indivíduos envolvidos, mas que é possível aumentar os cuidados e prevenir EAs desnecessários. Caso nosso leitor tenha gostado do texto, não esqueça de verificar o nosso blog!

 

Fonte:

- https://csp.qualisaude.telessaude.ufrn.br/
- https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/sistema-avalia-adocao-de-cultura-de-seguranca-do-paciente
- https://www.drteuto.com.br/blog-interna.php?data=2021-03-19&slug=covid-19-no-brasil-entenda-como-esta-a-doenca-pelo-pais
- https://www.drteuto.com.br/blog-interna.php?data=2021-03-08&slug=entidades-do-setor-de-saude-se-manifestam-sobre-as-medidas-de-prevencao-a-covid-19