Dr. Teuto

Blog

Blog


08/02/2021 Notícias

OMS divulga a nova Lista de Diagnósticos Essenciais

Medida faz parte da iniciativa da organização para diminuir a falta de acesso a testes

OMS divulga a nova Lista de Diagnósticos Essenciais

Diversas doenças podem ser diagnosticadas com precisão e antecedência se houver disponibilidade de testes e laboratórios especializados na realização desses testes. Nesse sentido, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publica anualmente a Lista de Diagnósticos Essenciais desde 2018, a fim de auxiliar os países na manutenção da saúde da população e salvar vidas.

Para saber mais sobre o assunto, continue acompanhando este post. Boa leitura!

O que é a Lista de Diagnósticos Essenciais?

Essa lista serve como um guia para as autoridades públicas, tendo em vista que apresenta a incidência de doenças em todo o mundo e sugere qual teste é necessário para identificar cada problema de saúde.

O documento é avaliado pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Diagnóstico In Vitro (SAGE IVD), o qual é composto por pesquisadores que se debruçam sobre o tema em todo o mundo.

Além de indicarem quais testes são necessários para diagnosticar as doenças mais recorrentes, eles também consideram a utilidade, impacto e precisão de cada tipo de teste, de modo a selecionar aquele que apresenta o resultado mais satisfatório.

Vale destacar que a lista não é prescritiva, ou seja, as autoridades públicas de cada país têm liberdade para se basearem no documento, mas criarem as suas próprias listas de acordo com as suas necessidades específicas.

No entanto, a assistência da OMS para apoiar o desenvolvimento de listas de diagnósticos essenciais já foi demandada por países, como Bangladesh, Índia, Nigéria e Paquistão.

Qual a sua importância?

A Lista de Diagnósticos Essenciais é importante para a realização de diagnósticos precisos e para gerar economia de recursos públicos. Quanto ao primeiro ponto, quando o país tem a informação sobre quais as doenças são mais incidentes e dispõe de testes e laboratórios especializados, é mais fácil diagnosticar com antecedência e exatidão qual problema de saúde o paciente apresenta, evitando que ele seja tratado incorretamente.

Além disso, por meio desse tipo de informação, também é possível elaborar políticas públicas mais efetivas, de modo a controlar e prevenir o surgimento de doenças.

Quanto ao segundo ponto, geração de economia de recursos públicos, investir na prevenção ou tratar doenças logo no estágio inicial de desenvolvimento diminui muito os gastos com saúde pública, tendo em vista que um paciente em estado grave de saúde pode acabar internado e consumindo uma maior quantidade de medicamentos.

Ademais, ao diagnosticar precisamente uma doença por meio de um teste, evita-se realizar o diagnóstico equivocado e desperdiçar recursos com tratamentos e medicações que não surtirão efeito.

Novidades presentes na nova publicação

A última lista divulgada conta com algumas novidades, das quais destacamos:

●       testes de COVID-19 (PCR e antígeno);

●       testes com preços menos acessíveis, não confiáveis ou ultrapassados, os quais não deveriam ser disponibilizados por esses motivos;

●       um capítulo sobre a endocrinologia, que é um tema fundamental para a saúde da mulher.

Além disso, a nova lista também aumenta o número de:

●       testes para doenças infecciosas e preveníveis por meio de vacinas;

●       testes para doenças crônicas não transmissíveis.

Conclusão

Como você pôde perceber, a Lista de Diagnósticos Essenciais é uma importante medida para melhorar a saúde da população e melhor alocar recursos públicos.

Caso você deseje receber mais notícias como esta, assine a nossa newsletter!

 

Fonte:

https://www.paho.org/pt/noticias/29-1-2021-oms-publica-nova-lista-diagnosticos-essenciais-e-pede-aos-paises-que-priorizem

Assuntos relacionados: LISTA DE DIAGNÓSTICOS ESSENCIAIS