Dr. Teuto

Blog

Blog


22/01/2021 Notícias

Estudo alerta para o assédio aos médicos nas redes sociais

De acordo com o levantamento, 23,3% dos médicos já sofreram assédio on-line

Estudo alerta para o assédio aos médicos nas redes sociais

A JAMA Internal Medicine, uma organização americana produtora de artigos periódicos para a área da saúde, promoveu uma pesquisa recente ao coletar dados de 464 doutores estadunidenses. O objetivo do estudo foi investigar o assédio aos médicos nas redes sociais.

A utilidade do tema abordado, é demonstrar que os eventos em questão não são incidentes isolados. O assédio é real e vários profissionais têm passado por essa situação. Saiba mais sobre as preocupantes descobertas feitas pelo estudo.

Desafios enfrentados pelos profissionais da área médica

Além da medicina ser uma área que demanda responsabilidade e possuir plantões exaustivos, em tempos de covid-19 a situação é ainda mais agravante, pois eles arriscam as vidas lutando na linha de frente contra a pandemia. Os obstáculos são variados, começam logo no início da formação acadêmica e permanecem no dia a dia desses médicos durante todo o exercício da função.

Apesar de tanta dedicação ao trabalho, a ocorrência de assédios no mundo virtual tem se tornado mais um motivo de preocupação para eles. De acordo com os dados colhidos, quase um quarto desses profissionais se tornaram vítimas nas redes sociais.

Dados coletados na pesquisa

Muitos foram ameaçados com agressão física, sexual, recebimento de material pornográfico, ameaças de morte, denúncias aos superiores e até mesmo compartilhamento de dados pessoais na internet. Desconsiderando fatores demográficos, gênero, cor e etnia, 23,3% desses profissionais já foram vítimas utilizando a internet.

De acordo com o estudo promovido:

  • a probabilidade de uma profissional de medicina ser vítima da situação é duas vezes maior. As mulheres e pessoas não binárias são os principais alvos nas redes;

  • felizmente esse grupo também é o que mais denuncia as ocorrências;

  • dos médicos entrevistados, 1 a cada 6 sofreram assédio sexual nas redes (cerca de 77 pessoas).

Quais as consequências do assédio aos médicos?

Independentemente da área de atuação de um trabalhador, é necessário se sentir seguro ao exercer suas tarefas. O constante assédio nas redes leva à desmotivação desses profissionais e a situação não deixa de ser relevante simplesmente porque os assediadores não estão presentes.

As informações destacadas pela pesquisa englobam apenas estadunidenses, porém a realidade da situação mundial pode não ser muito diferente.

Além do assédio, tem sido relatado também o aumento da violência contra eles. Todo esse cenário leva ao estresse, medo de sofrer algum ataque físico e medo do mundo virtual impactando diretamente na rotina, podendo atrapalhar seu desempenho nos consultórios.

O estudo reforça que quando a pessoa opta pela exclusão da conta da rede social, ela perde a oportunidade de ter contato com outros trabalhadores da área, diminuindo assim seu network. Neste mundo conectado é importante manter esta rede para encontrar ajuda em futuros desafios profissionais.

Tanto a comunidade médica quanto os pacientes saem perdendo com a saída deste profissional das redes sociais e conteúdos valiosos deixam de ser postados devido ao assédio aos médicos.

O que você pensa sobre os resultados dessa pesquisa feita? Não se esqueça de assinar a nossa newsletter para não perder nenhuma novidade.

 

Fonte:

https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/article-abstract/2774727?guestAccessKey=df0dcbe0-a395-41ef-9379-e5c6769306bc&utm_source=silverchair&utm_medium=email&utm_campaign=article_alert-jamainternalmedicine&utm_content=olf&utm_term=010421
https://www.crmpr.org.br/Medicos-difamacao-por-paciente-em-rede-social-13-47035.shtml#:~:text=Temos%20acompanhado%20diversos%20casos%20de,mais%20variados%20meios%20de%20comunica%C3%A7%C3%A3o

Assuntos relacionados: ASSÉDIO AOS MÉDICOS