Dr. Teuto

Blog

Blog


27/12/2019 Medicina

A importância da segura segurança de dados na saúde

Veja como estabelecimentos e profissionais da saúde devem agir para manter os dados dos pacientes seguros

A importância da segura segurança de dados na saúde

Você já parou para analisar a importância da segurança de dados na saúde? Já pensou como sua clínica está lidando com isso?

Esses são pontos muito importantes e devem ser considerados com muita atenção, afinal, estamos falando sobre a proteção contra destruição, roubo, uso não autorizado, acidentes, falhas e invasões, por exemplo.

Em outras palavras, segurança de dados na saúde significa conhecer os pontos fracos e fazer uso de recursos e ferramentas que garantam a preservação dos dados que, como sabemos, trata-se de algo muito sério e de valor, pois dizem respeito aos clientes da clínica.

Nos próximos parágrafos, separamos considerações relevantes sobre a proteção de dados. Acompanhe e veja quais aspectos você deve começar a trabalhar para aumentar a eficiência da segurança de dados em sua clínica.

Boa leitura!

Manter as atualizações em dia

A maior parte das invasões se dá por meio de falhas de acesso encontradas em drives, sistemas operacionais e softwares.

As próprias empresas que fornecem esses itens lançam com frequência atualizações com o objetivo de manter tudo em perfeito funcionamento e com segurança. Negligenciar esse ponto seria o equivalente a deixar a porta de casa destrancada.

Fazer backups dos dados

Backups não evitam que algum problema envolvendo a segurança de dados na saúde ocorra, mas eles ajudam a diminuir os prejuízos que alguma eventualidade possa causar.

Fazer cópias de segurança diárias dos dados dos clientes e guardá-los em um servidor externo (também protegido) é uma boa ideia nesse sentido.

Além disso, quem quiser mais praticidade poderá optar por serviços que oferecem o armazenamento de dados na nuvem, trazendo ainda mais segurança.

Bloquear sites nocivos

Há uma série de ferramentas, sendo que existem até mesmo algumas gratuitas, que auxiliam as clínicas a restringirem o acesso de usuários a determinados tipos de sites — aqueles que representam um risco em potencial para a captura de dados ou podem estar cheios de vírus.

Além disso, é preciso ir um pouco além: boa parte das pessoas faz uso desse tipo de serviço, mas não aplicam esses recursos nos e-mails de trabalho e pessoais quando são abertos na empresa. Vale a pena incluir esse último ponto também.

Criar políticas de segurança

A clínica é feita por pessoas e por mais bem intencionadas que estejam, podem acabar abrindo uma brecha que deixe a segurança de dados na saúde mais vulnerável.

Os colaboradores também são o principal foco de criminosos, pois geralmente eles têm acesso a uma quantidade significativa de informações e, por isso, podem servir de “intermediários” sem perceber.

Sendo assim, é fundamental que o gestor da clínica trabalhe em pareceria com um profissional de TI com o objetivo de definir políticas e normas que sejam seguidas por todos os funcionários.

Além de aumentar a segurança, ter esse tipo de documentação também ajuda a educar e conscientizar os colaboradores.

Procurar um especialista

Mesmo que a clínica tome os cuidados apontados acima e muitos outros, é importante que um especialista seja chamado de tempo em tempo para uma avaliação profunda. Temos que ter em mente que as técnicas usadas pelos criminosos mudam todos os dias, sendo assim, quanto mais preparado para proteger e garantir a segurança dos dados na saúde, melhor!

Pensar na segurança de dados na saúde é algo que já é considerado obrigatório, não importando o tamanho de sua clínica. As informações dos clientes são a base de tudo e, perdê-las, seja por roubou ou falhas, fará com que as pessoas percam a confiança na clínica e no profissional por trás dela.

Para acompanhar mais dicas e novidades inscreva-se em nossa newsletter e receba em primeira mão nossos conteúdo em seu e-mail!

Assuntos relacionados: segurança de dados na saúde