Dr. Teuto

Blog

Blog


13/06/2019 Medicina

Você sabe como lidar com as fake news na medicina?

Conheça os impactos das notícias falsas na medicina e aprenda a combatê-las em seu consultório

Você sabe como lidar com as fake news na medicina?

Você sabe o que são as fake news na medicina? Fake News, em linhas gerais, são notícias falsas espalhadas sem nenhum critério ou embasamento científico. Com a expansão da internet e das redes sociais, elas se tornaram comuns nos dias de hoje. E, quando pensamos na área da saúde, essas notícias podem representar, inclusive, perigo para nossa vida.

Nesse sentido, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) vem procurando estimular os médicos, ou seja, ajudando-os a combater as notícias falsas relacionadas à área da saúde. Saiba mais sobre esse tema tão importante ao longo do conteúdo.

Os perigos das fake news na medicina

Na medicina, as fake news se propagam de diversas formas, seja através das redes sociais ou mesmo por meio dos inúmeros blogs de saúde e bem-estar encontrados facilmente através de uma rápida pesquisa no Google.

Dessa maneira, o leitor, que na maioria das vezes é leigo no assunto, acaba tomando alguns textos por verdade e, desse modo, acaba se automedicando. Além de colocar a própria saúde em risco, essa pessoa, ao repassar esse “conhecimento” adquirido, coloca em risco também a vida de outras pessoas.

Leia também: Os avanços da medicina preventiva e as perspectivas para os próximos anos

Caso famoso de fake news na medicina

Um dos casos mais notórios da atualidade no qual as fake news ganharam bastante força nas redes sociais diz respeito às propriedades e aos efeitos adversos da vacinação. Mesmo os médicos ressaltando sempre a importância que a vacinação tem na saúde das pessoas, essas notícias falsas ganharam milhares de adeptos.

Dentre as informações repassadas sem nenhum critério, estavam alegações de que as vacinas contra febre amarela, poliomelite, microcefalia e gripe, possuíam composições químicas que poderiam causar riscos à saúde da população.

Com isso, houve muitas pessoas que não tomaram corretamente a vacina. Até mesmo aquelas que iam, acabavam olhando desconfiadas para os agentes da saúde. Situação extremamente grave, que poderia inclusive causar surtos e epidemias em massa.

Leia mais: Pesquisadores desenvolvem tecnologia capaz de produzir células tronco em escala

Dicas para combater as fake news

Diante de tais perigos que as fake news podem representar quando o assunto é saúde, cabe aos médicos um esforço conjunto para combatê-las.

Desse modo, utilizar suas redes sociais, como Facebook e Instagram, para proliferar notícias verdadeiras, com embasamento científico, seguindo as normas do Conselho Regional, é essencial para combater as notícias falsas.

Também pode ser criado pelo médico um blog, cuja seriedade das notícias poderá servir como parâmetro para que as pessoas possam tirar dúvidas sobre a veracidade de uma informação recebida sem nenhum critério.

O médico também pode usar o seu consultório para esclarecer aos seus pacientes sobre os perigos da automedicação e sobre a gravidade das notícias falsas. Alertando, inclusive, o a respeito da necessidade de buscar a fundamentação científica de qualquer notícia.

Com tantas fake news na medicina sendo jorradas em tempo real nas redes sociais, sabemos que o trabalho de combatê-las é difícil. No entanto, adotando a postura de levar a informação correta, o médico estará colaborando para a saúde e para o bem estar de inúmeras pessoas.

Se você gostou desse texto, compartilhe e ajude a disseminar o conhecimento.

Assuntos relacionados: fake news na medicina