Blog


18/01/2012 Tecnologias

Diabetes e as novidades tecnológicas

A tecnologia pode ajudar a melhorar a evolução da doença de diversas maneiras, desde o monitoramento dos níveis glicêmicos até a aderência ao tratamento medicamentoso e comportamental, como ati

Diabetes e as novidades tecnológicas

A diabetes é uma doença em que a monitorização dos níveis de glicose é fundamental. A análise constante desses dados pela equipe de saúde é um fator que afeta a evolução da doença e suas complicações.

A tecnologia pode ajudar a melhorar a evolução da doença de diversas maneiras, desde o monitoramento dos níveis glicêmicos até a aderência ao tratamento medicamentoso e comportamental, como atividade física e alimentação.


Celular

O iPhone possui muitos aplicativos para  a diabetes, que têm como objetivo desde o controle glicêmico até receitas culinárias para diabéticos. O app brasileiro Diário do Diabético (Android) desenvolvido por médicos ajuda a controlar a doença. O iBGStar Blood Glucose Meter for iPhone é um glicosímetro de design muito atraente e muito pequeno que acoplado ao iPhone, envia os dados ao aplicativo, permitindo o paciente controlar a dieta e as doses de insulina. 

O Telcare é um glicosímetro que transmite as leituras de glicose por um chip de telefone celular nele implantado a um portal na internet, ao qual médico e familiares tem acesso. Seu diferencial é que além de avisar quando seus suprimentos, como fitas e agulhas, estão acabando, ele permite que o médico envie lembretes ou orientações aos pacientes diretamente na tela do glicosímetro. Ainda possui um aplicativo para smartphones que envia relatórios com gráficos por e-mail.

""Dispositivo para monitoramento contínuo

O iPro2 é um dispositivo que monitora durante três dias os níveis de glicose do paciente. Em contato constante com a pele do paciente, o sistema a prova d’água de 3cm, grava e armazena 288 medidas de glicemia em um período de 24 horas. Após os três dias, o paciente retorna o iPro2 à sua base, que envia um sumário de dados com as medidas.

O futuro

Muitos endocrinologistas já usam a web para controle de seus pacientes diabéticos e o tratamento à distância tem facilitado muito a vida das populações que residem longe dos grandes centros. Mas a quase totalidade dos dispositivos requer a alimentação dos dados pelo paciente. 

As facilidades com o uso da tecnologia tendem a englobar agora o campo do monitoramento passivo de dados. Em dezembro último, um aplicativo para celular chamado Ginger.io ganhou o Desafio de Design para Diabetes. Ele consiste em transformar seu celular em um dispositivo de automonitoramento passivo, analisando o comportamento do paciente através de sensores. Ao combinar esses dados com a aprendizagem da máquina e a modelagem estatística, o Ginger.io promete uma compreensão em tempo real do paciente para ajudar o profissional de saúde.  

 

""

* Semanalmente, o Dr. Teuto abre este espaço para seus parceiros exporem suas opiniões e ideias sobre diversos temas. Portanto, este conteúdo é de total responsabilidade de seus autores.