Blog


01/02/2018 Medicina

Especialidades médicas: Infectologia

Conheça uma das especialidades médicas mais amplas da medicina e veja como se especializar!

Especialidades médicas: Infectologia

Infectologia é a especialidade médica que cuida das doenças infecciosas, causadas por vírus, bactérias, protozoários, fungos e outros micro-organismos. Essa área da medicina também recebe outros nomes, dependendo da região de atuação, como: infecciologia, doenças infecto-parasitárias (DIP) ou moléstias infecciosas e parasitárias (MIP).

No Brasil, essa especialidade médica é controlada pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SIB). A entidade é responsável por aplicar os exames para certificação dos profissionais, bem como renovar tais títulos.

Além disso, a Sociedade também publica artigos científicos e demais documentos com o intuito de atualizar a comunidade médica sobre o tema. Há também uma série de comitês na entidade que abordam as diversas doenças sob responsabilidade dos infectologistas brasileiros.

O que faz um infectologista?

A infectologia é um dos estudos mais amplos da medicina, haja vista a imensa lista de doenças e infecções estudadas e tratadas por esses especialistas. Entre as áreas de atuação e doenças mais comuns, estão:

  • Estudo e tratamento do HIV/ SIDA;
  • Medicina tropical;
  • Atuação no CCIH (Comissão de Controle de Infecções Hospitalares);
  • Doenças piogênicas;
  • Clínica geral;
  • Viroses que causam febres hemorrágicas;
  • Dengue;
  • Malária;
  • Febre amarela;
  • Surtos e pandemias;
  • Acidentes com animais peçonhentos;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Entre outras doenças infecciosas.

O ramo de atuação desse especialista é bem amplo e variado, podendo atuar no atendimento clínico ou até mesmo no estudo das doenças em laboratório.

 

 

Como se especializar em infectologia?

Para se tornar um infectologista é necessário fazer a residência na área após a conclusão do curso de medicina. Essa especialização leva, em média, três anos para a conclusão.

Após isso o profissional também precisa ser aprovado no Exame de certificação da SIB, entidade que regulamenta e fiscaliza a atuação nesse segmento. O Título de especialista é reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Comitê Nacional de Residência Médica (CNRM), com validade de cinco anos após a sua emissão.

Para a revalidação do título, o profissional precisa apresentar os documentos comprobatórios das certificações anteriores durante toda a sua carreira médica.

Caso o especialista pretenda atuar em outra subespecialidade, como a clínica médica, por exemplo, será necessário cumprir também a residência médica nessa área de estudo.

Gostou de aprender mais sobre a infectologia? Registre-se em nossa newsletter gratuitamente para receber os próximos posts sobre especialidades médicas.