Blog


25/01/2018 Medicina

Vício em jogos eletrônicos pode ser considerado doença em 2018

OMS estima que entre 0,2 e 20% dos players possuem o distúrbio mental.

Vício em jogos eletrônicos pode ser considerado doença em 2018

A OMS (Organização Mundial da Saúde) cogita adicionar o Transtorno do Videogame ao novo relatório de Classificação Internacional das Doenças (CID), que será divulgado em 2018. Se confirmada a adição, o vício em jogos eletrônicos seria caracterizado como distúrbio mental em alguns casos.

A Organização estima que 0,2 a 20% dos jogadores possuem o distúrbio mental e o equiparou ao vício em jogos de azar, como a necessidade extrema de jogar cartas, por exemplo. Para chegar a essa decisão a OMS acompanhou por dez anos alguns players e determinou que, em alguns casos, a necessidade de jogar sobrepõe outros interesses caracterizando assim o vício.

Para ser enquadrado na “nova doença”, o paciente deve apresentar os sintomas por pelo menos 12 meses. Esse período pode ser diminuído para diagnóstico, caso haja dependência extrema do jogador.

Diagnóstico do transtorno do videogame

Em meio a crescente era de tecnologia e a forte utilização de aparelhos eletrônicos por muitas pessoas, a dúvida que fica é como identificar quando se tornou um vício jogar algumas partidas do game preferido.

Para sustentar a adição no CID, a OMS apresentou algumas orientações para ajudar no diagnóstico do dependente. Segundo a organização, os sintomas devem existir por pelo menos 12 meses para caracterizar o vício.

 

 

Além disso, a necessidade de jogar precisa ultrapassar outros interesses do jogador e de sua vida, mesmo quando apresenta prejuízos visíveis ao jogador. O que já é levado em conta no diagnóstico de outros vícios.

A quantidade e a duração das partidas também serão consideradas no diagnóstico, segundo o Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias da OMS.

O diretor do departamento, Vladimir Poznyak, diz que o transtorno foi adicionado a lista por trazer consequências graves aos pacientes em alguns casos. Da mesma forma, a medida faz parte de uma iniciativa para tentar facilitar o diagnóstico e tratamento dos viciados digitais.

Polêmica do videogame

O anúncio foi feito pela OMS nessa quinta-feira (21), mas já causou muito reboliço na internet e entre os especialistas.

Alguns parabenizaram pela decisão e questionaram por que o vício em outros gadgets não recebeu o mesmo tratamento da organização. Segundo Poznyak ainda não há estudos conclusivos para comprovar a dependência de outros meios digitais, como o smartphone, e por isso eles ainda não são reconhecidos pela OMS.

Outros especialistas criticaram a decisão da organização, pois sustentam que há bilhões de pessoas que usam regularmente a cafeína no mundo para melhorar a performance e, mesmo assim, não são consideradas viciadas na substância.

E você, o que tem a dizer sobre esse assunto? Concorda ou discorda da inclusão do vício em jogos eletrônicos ao CID? Deixe o seu comentário abaixo!