Blog


15/08/2017 Estilo de Vida

Obesidade Infantil: causas, consequências e como reverter

O número de crianças com obesidade infantil triplicou no Brasil e no mundo nos últimos anos. Veja as causas, consequências e como reverter o excesso de peso

Obesidade Infantil: causas, consequências e como reverter

Nos últimos 30 anos, a prevalência de obesidade infantil triplicou no Brasil e no mundo.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente uma em cada três crianças brasileiras pesam mais do que deveriam. Nos Estados Unidos, uma a cada cinco está obesa. E não só: além de mais crianças estarem acima do peso, as que já têm obesidade infantil estão ficando ainda mais obesas.

Assim como a obesidade adulta, a infantil ocorre quando a criança é considerada acima do peso esperado para sua idade e altura. Os quilos em excesso podem causar complicações que podem persistir até a vida adulta, mesmo que o quadro seja revertido. Doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto estão entre os riscos da obesidade infantil não tratada. Para completar, também pode diminuir a autoestima e provocar distúrbios psicológicos, como depressão e distúrbios alimentares.

 

Quais são as causas da obesidade infantil

Comer em excesso ou ter uma alimentação não balanceada não são os únicos fatores que podem levar à obesidade infantil. As causas mais comuns, além da má alimentação, são predisposição genética, sedentarismo ou uma combinação desses fatores. A obesidade infantil também pode ser provocada por alguma condição médica, como doenças hormonais ou uso de medicamentos.

 

 

Veja o que pode elevar o risco de obesidade infantil:

 

  • Dietas desequilibradas, com alimentos industrializados e congelados, refrigerantes, doces e frituras;
  • Sedentarismo, ou falta de atividade física, visto que esportes ajudam a queimar as calorias ingeridas. E isso pode ser feito em brincadeiras comuns na infância, como pega-pega ou esconde-esconde;
  • Histórico familiar de obesidade, pois além da influência genética, os maus hábitos alimentares dos pais podem ser copiados pelos filhos;
  • E fatores psicológicos, como estresse, que podem levar as crianças a comerem mais do que o necessário e brincarem menos que o normal, ou perderem o interesse por completo em brincadeiras.

 

Como explicar aos pais que o filho tem obesidade infantil

O papel dos pais no diagnóstico e tratamento de obesidade infantil é fundamental. São eles que vão perceber que a criança está acima do peso e serão eles os responsáveis por ajudá-la a seguir o tratamento para reverter o quadro de obesidade. Por isso, o médico é fundamental para explicar à família sobre a doença.

Neste momento, é interessante conversar sobre as causas e as consequências que a doença pode ter para o futuro dos filhos. Vale também mostrar a eles o cálculo de Índice de Massa Corporal (IMC) e tabelas da Organização Mundial da Saúde (OMS) que indicam as faixas de peso esperadas para a idade. Quanto mais informações o médico disponibilizar aos pais, maiores as chances de aderirem ao tratamento. Finalmente, o médico deve estar pronto para responder e tirar as dúvidas dos pais.

 

Como tratar e reverter o quadro de obesidade infantil

Não existem tratamentos farmacológicos para obesidade infantil que não envolvam mudanças no estilo de vida. Quanto maior o grau de excesso de peso, maior a gravidade da doença e mais mudanças serão necessárias. A principal delas é a adoção de uma alimentação saudável. E aí o compromisso dos pais é fundamental, visto que são eles os responsáveis por comprarem e prepararem os alimentos dos filhos. Algumas dicas são:

 

  • Investir em frutas, legumes e vegetais;
  • Optar por alimentos integrais;
  • Evitar alimentos industrializados, como biscoitos e refeições prontas;
  • Limitar o consumo de bebidas açucaradas, inclusive sucos de caixinha;
  • Servir porções adequadas para crianças e não forçá-las a terminar o prato.

 

A prática de atividade física também deve fazer parte do dia a dia e ser incentivada. Crianças devem fazer ao menos um tipo de exercício físico todos os dias, sejam elas programadas, como aulas de dança ou esportes como futebol, ou não programadas, como brincadeiras em parques.

Inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro das novidades!

 

Leia também:

Saiba quais são as especialidades médicas do futuro

Como planejar uma boa aposentadoria médica

Saiba quais são os principais tipos de transtornos mentais

 

Importante: O objetivo deste blog é trazer informações atualizadas sobre o setor médico/farmacêutico. O conteúdo não expressa a opinião da empresa/Laboratório Teuto | Pfizer.

Assuntos relacionados: Obesidade infantil