Blog


04/07/2017 Medicina

Série especialidades médicas: alergia e imunologia

Especialistas em alergia e imunologia tratam de doenças alérgicas e deficiências imunológicas. Saiba mais sobre o dia a dia e das oportunidades na área

Série especialidades médicas: alergia e imunologia

"É só alergia", é comum ouvirmos as pessoas dizerem durante uma crise de espirros, coceira, irritação, inchaço. No entanto, esse "só" é muito mais grave do que parece. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil 35% da população sofre de algum tipo de alergia, que vão desde as respiratórias (mais comuns), até às de pele, alimentares e a medicamentos. De acordo com uma estimativa da Organização Mundial da Alergia, 400 milhões de pessoas no mundo todo têm asma, doença que causa morte de cerca de três mil pessoas por ano no Brasil.

É grave, mas a boa notícia é que existe tratamento, e os responsáveis por isso são os médicos especialistas em alergia e imunologia. Eles são treinados especificamente para cuidar dos pacientes com estas doenças, além de interpretar os testes e procedimentos diagnósticos e terapêuticos.

Conheça melhor a especialidade em alergia e imunologia

Um artigo publicado na Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia intitulado "O que é um alergista?" define que o alergista é "o médico que concluiu com êxito um período de treinamento especializado em alergia e imunologia e um período de treinamento em medicina interna e/ou pediatria. Os alergistas também são imunologistas clínicos especializados, devido à base imunológica das doenças que diagnosticam e tratam."

 

Os alergistas precisam ter amplo conhecimento sobre:

 

  • As células envolvidas nas doenças alérgicas (células-tronco, linfócitos, mastócitos, basófilos, eosinófilos, neutrófilos, monócitos, macrófagos, células dendríticas);
  • As moléculas envolvidas na resposta imunológica, inclusive mediadores químicos;
  • As principais reações de hipersensibilidade;
  • As interações célula-célula;
  • Os testes de diagnóstico para a alergia;
  • A epidemiologia das doenças alérgicas e conhecimento do que pode provocar alergia em cada ambiente, como a poluição;
  • E os fatores de risco de progressão das doenças alérgicas.

 

 

Qual o caminho para se tornar especialista em alergia e imunologia

Na maioria dos países, o período indicado para a especialidade em alergia e imunologia é de dois a três anos de treinamento específico. No Brasil, o programa de residência tem duração de dois anos e, de acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), tem como pré-requisito a residência de Clínica Médica ou Pediatria. Ainda segundo a ASBAI, existem cerca de 1500 profissionais especialistas em alergia e imunologia atuando no Brasil.

Durante a residência, as principais atividades e objetivos são:

 

  • Treinamento básico: asma, rinite, alergia cutânea, reações adversas a drogas, reações a venenos de insetos, imunodeficiências primárias e secundárias (AIDS e desnutrição), autoimunidade, incluindo imunogenética, imunoterapia, vacinas.
  • Unidade de treinamento: ambulatório, enfermaria e laboratório de provas especiais.
  • Estágios obrigatórios: laboratório abrangendo imunologia, citologia nasal, realização e interpretação de testes imediatos e tardios, preparo de extratos alergênicos, realização e interpretação de provas de função pulmonar, identificação e contagem de alérgenos (ácaros, fungos e pólens), testes de provocação com drogas e alimentos, provas de provocação brônquica e nasal, indicação e avaliação de imunoterapia, dessensibilização por drogas, noções fisioterápicas e de reabilitação do asmático.
  • Estágios opcionais: Dermatologia, Pneumologia, Otorrinolaringologia, Infectologia, Hematologia, Reumatologia e Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

 

Como os dados apresentados no início do post mostram, o futuro especialista em alergia e imunologia terá a oportunidade de tratar e ajudar milhares de pacientes.

E você, já é especialista em alguma área? Quer conhecer mais sobre as outras especialistas médicas? Inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro dos próximos artigos que publicaremos sobre as especialidades médicas!

Leia também:

Saiba quais são as especialidades médicas do futuro

Como planejar uma boa aposentadoria médica

Saiba quais são os principais tipos de transtornos mentais

 

Importante: O objetivo deste blog é trazer informações atualizadas sobre o setor médico/farmacêutico. O conteúdo não expressa a opinião da empresa/Laboratório Teuto | Pfizer.

Assuntos relacionados: alergia, imunidade