Blog


08/06/2017 Estilo de Vida

Como planejar uma boa aposentadoria médica

No Brasil, a reforma da previdência é o assunto do momento. E os médicos, como ficam? Saiba como se preparar corretamente para a aposentadoria médica

Como planejar uma boa aposentadoria médica

A reforma da previdência tem sido um assunto muito discutido ultimamente no Brasil. Independentemente de posicionamentos, muita coisa deve mudar. E a aposentadoria médica, como fica? O texto atual da proposta não prevê nada específico para os médicos, mas você sabe quais são as regras em vigor atualmente?

Embora se aposentar pareça uma etapa simples da vida de quem trabalha, há regras bastante específicas para cada categoria. Por isso, nunca é cedo para pensar na aposentadoria, especialmente a médica. Confira as dicas a seguir.

 

O que é preciso saber sobre a aposentadoria médica?

O simples exercício da medicina, ou qualquer outra atividade descrita no Anexo II do Decreto 83.080/79, garante o reconhecimento da atividade especial até 28/04/1995, o que faz valer a aposentadoria especial médica. 

Esse benefício previdenciário é voltado aos segurados que exercem atividades consideradas especiais, ou seja, aquelas nas quais o trabalhador fica exposto a agentes nocivos que podem prejudicar a saúde ou a integridade física.

Ao contrário da aposentadoria comum, neste tipo não há idade mínima para requerê-la e sua duração é vitalícia. O tempo de contribuição mínimo para a sua obtenção é de 25, 20 ou 15 anos e varia de acordo com o grau de periculosidade da função. Em geral, os profissionais da saúde precisam contribuir por 25 anos para obterem a aposentadoria médica especial. 

Há presunção de atividade especial somente até abril de 1995. A partir da data, é necessária a comprovação da atividade, pois não mais se presume a especialidade somente por conta da atividade especial. 

 

 

Mesmo que o segurado não possua os 25 anos de atividade especial, é possível obter vantagens ao solicitar reconhecimento do período insalubre para utilizá-lo na aposentadoria comum. Para tanto, é feita uma conversão do tempo especial para o comum e multiplica-se o tempo trabalhado em atividade insalubre por 1,4 para os homens e 1,2 para as mulheres. Em outras palavras, um médico que atuou por 10 anos e depois passou a desempenhar funções não insalubres, não precisará de mais 25 anos para alcançar os 35 anos de contribuição para se aposentar. 

Para os médicos que atuaram primeiro na área privada e depois migraram para a pública, é possível incluir no tempo de serviço as contribuições feitas ao INSS antes do ingresso no cargo público. 

 

É possível continuar trabalhando depois da aposentadoria médica?

Durante algum tempo, existiam diretrizes que determinavam o afastamento imediato da atividade após a aposentadoria especial. No entanto, existem decisões em tribunais atualmente que consideram que o médico pode continuar trabalhando, graças ao livre exercício da profissão. Se você se aposentou e deseja continuar trabalhando, o ideal é consultar um advogado especializado no assunto.

 

Veja dicas de como se preparar financeiramente para a aposentadoria médica

Uma preocupação comum de quem vai se aposentar é a redução do salário. É possível manter o mesmo padrão de vida mesmo depois de parar de trabalhar? Confira as dicas a seguir que vão ajudar você a se preparar para uma boa aposentadoria médica.

 

  • Esqueça o tempo que passou

Se você passou anos sem se preparar para a aposentadoria médica, não adianta se lamentar. Pense que, a partir do momento em que estabelecer os desejos para a vida pós aposentadoria, você vai se esforçar para cumprir aquilo a que se propôs.

  • Faça um planejamento possível.

Seja realista e trabalhe com o que você tem. É improvável garantir uma renda igual ou superior à atual, mas com um bom planejamento é possível manter um padrão de vida semelhante. Isso inclui considerar a inflação futura e encontrar um investimento que traga bons retornos no futuro.

  • Estabeleça prioridades.

Se você não conseguiu juntar dinheiro o suficiente, uma boa solução é diminuir pequenos gastos ou luxos que comprometam a aposentadoria médica no futuro.

  • Faça o planejamento funcionar.

Trace as ações necessárias e comprometa-se a cumpri-las.

 

E você, doutor, pretende se aposentar? Como está o planejamento? Inscreva-se em nossa newsletter e acompanhe mais dicas como esta.

 

Leia também:

Aplicativos de medicina para gerenciar melhor o seu tempo

O que você precisa saber para validar o diploma médico no exterior

Laudo Médico: como fazer corretamente

Assuntos relacionados: aposentadoria