Blog


25/02/2013 Dicas

Tempo Resposta no Atendimento Pré-Hospitalar

O tempo resposta, é uma variável de suma importância dentro de um serviço de Atendimento Pré-Hospitalar (APH).

Tempo Resposta no Atendimento Pré-Hospitalar

O tempo resposta, é uma variável de suma importância dentro de um serviço de Atendimento Pré-Hospitalar (APH). Este é constitui-se do período que engloba a ativação do serviço de emergência, até a chegada da equipe de atendimento móvel ao paciente.

Consideramos tal como um fator de alta valência nos indicadores de qualidade de qualquer serviço de APH, entretanto vale enfatizar que o mesmo depende de uma série de quesitos que influenciam diretamente na contabilização final da média estatística deste.

Este está intimamente conectado, inicialmente, na dependência direta da gravidade presumida de cada caso, após o processo inicial de regulação médica. Igualmente do posicionamento geográfico onde se encontram os veículos de emergência no momento da solicitação e despacho, das condições de tráfego das vias de trânsito (congestionamento), do clima, da disponibilidade de ambulância adequada para ser enviada no momento da solicitação, bem como do modo de deslocamento do veículo (com sirene e sinais luminosos ligados ou não), o que é determinado pelo Médico Regulador, após cada caso ser criteriosamente avaliado e ser determinada a gravidade presumida e o grau de urgência do mesmo.

Não podemos assegurar, mesmo em casos de real emergência médica, que o recurso chegue ao local do atendimento em tempo inferior ao que as limitações naturais e inerentes ao sistema permitem, pois, entre outros fatores, as ambulâncias são veículos que devem respeitar a velocidade máxima permitida designada para cada via (mesmo com sinal sonoro e sinais luminosos acionados), conforme determina explicitamente o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Os veículos de emergência não são imunes às penalidades previstas no CTB, sendo existe uma ressalva clara e bem objetiva, onde que imputa ao condutor do veículo de emergência toda a responsabilidade civil e criminal em caso de evento com envolvimento de sinistro e lesões corporais.

Como em qualquer serviço de atendimento pré-hospitalar do mundo, os recursos, mesmo sendo tecnicamente apropriados para a demanda rotineira, são limitados, podendo serem exauridos em determinados momentos, gerando uma inevitável demora e aumento do tempo resposta nos atendimentos, principalmente em situações nas quais as ambulâncias são direcionadas prioritariamente para outros casos de urgência ou emergência.

Mesmo assim, vale sempre manter e primar pela filosofia e o compromisso de sempre fazer o melhor possível para que a resposta seja rápida e segura, dentro das nossas possibilidades, respeitando-se os protocolos e as regras do processo de Regulação Médica. Não podemos, obviamente, vencer obstáculos alheios a nossa vontade sem que o tempo resposta seja comprometido em maior ou menor grau.

Apesar de entendermos que o solicitante sempre se julga em prioridade máxima, o que é natural, não podemos assegurar que as suas expectativas em relação ao tempo do atendimento não sejam frustradas em determinados casos.

Portanto, precisamos estar cientes de que a demora nos atendimentos poderá ocorrer, e que eventualmente ocorrerá, caso não haja recurso para ser enviado no momento da solicitação, ou casos que situações mais urgentes estejam sendo contempladas de forma prioritária. E com isso, precisamos estar atentos e preparados para atuar no sentido de minimizar ao máximo este indicador, que muitas vezes é crucial no prognóstico de nossos pacientes.

""

*Semanalmente, o Dr. Teuto abre este espaço para seus parceiros exporem suas opiniões e ideias sobre diversos temas. Portanto, este conteúdo é de total responsabilidade de seus autores.